Mês: Abril 2018

Gel de dextrose profilático não previne hipoglicemia neonatal:um estudo piloto quase-experimental

Gel de dextrose profilático não previne hipoglicemia neonatal:um estudo piloto quase-experimental

Prophylactic Dextrose Gel Does Not Prevent Neonatal Hypoglycemia: A Quasi-Experimental Pilot Study. Coors SM, Cousin JJ, Hagan JL, Kaiser JR. J Pediatr. 2018 Mar 28. pii: S0022-3476(18)30213-0. doi: 10.1016/j.jpeds.2018.02.025. [Epub ahead of print] PMID:  29605395. Similar articles.

Apresentação:Fernanda Reginatto Bau (R4), Daniela Megumi R.Yoshimoto (R3). Coordenação: Joseleide de Castro Gomes, Paulo R. Margotto. Unidade de Neonatologia do Hospital Materno Infantil de Brasília/SES/DF.

Tem sido já evidenciada que a aplicação do gel de dextrose à mucosa bucal como tratamento para hipoglicemia neonatal transitória demonstrou, em estudos randomizados e não randomizados, reduzir pela metade com segurança as internações na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN) por hipoglicemia pela metade. Também tem sido associado a significante aumento da  amamentação exclusiva ao seio (reduz a incidência de separação da mãe-bebê para o tratamento, com aumento da probabilidade da amamentação plena ao seio  na alta, além da redução de gastos hospitalares. Recente metanálise da Cochrane não encontrou efeitos adversos do gel de dextrose a 40% durante o período neonatal ou aos 2 anos de idade e recomendou o uso de gel de dextrose como uma abordagem de primeira linha para o controle glicêmico de prematuros tardios e bebês a termo. Como profilático, Hegarty et al (200mg/kg) evidenciaram que com uma dose única de gel de dextrose a 40% profilático reduziu a hipoglicemia (<47mg%) durante as primeiras 48 horas de vida, assim como a redução de internação. No entanto o presente estudo aqui Apresentado (Coors SM et al), utilizando um gel de dextrose a 77% e com conservantes não evidenciaram estes resultados, sendo atribuídos esta diferença a maior concentração de dextrose no gel usado. Talvez a maior concentração de carboidratos do gel utilizado (77%), comparado com a dose mais efetiva de 200mg/kg/dose (gel a 40%)  causou resposta hiperinsulinêmica e não preveniu a hipoglicemia com o seu uso profilático. Também nos links trouxemos o capítulo de Hipoglicemia atualizado em que frisamos o entendimento da homeostase da glicose durante os primeiros horas em que os mecanismos de contrarregulação são especialmente ativos (não queira e não exija que o bebê tenha um glicemia ≥50 mg% ao nascer, especialmente nos RN a termo). A queda de glicose parece essencial para facilitar a transição fisiológica para a vida neonatal incluindo um aumento na produção de glicose por glicogenólise, gliconeogênese, estimulação do apetite, adaptação aos ciclos de jejum e pós-prandial e promoção de um metabolismo oxidativo da gordura usando lipídios dos depósitos e ingeridos no leite. Nestes RN concentrações transitórias de glicose no sangue tão baixas quanto 30 mg% são comuns nas primeiras 1 a 2 horas após o nascimento, mas, geralmente aumentam acima de 45 mg% até 12 horas de idade

Prognóstico a longo prazo após doses repetidas de corticosteróides no pré-natal

Prognóstico a longo prazo após doses repetidas de corticosteróides no pré-natal

Ronald J. Wapner, M.D., Yoram Sorokin, M.D., Lisa Mele, Sc.M., Francee Johnson, R.N., B.S.N., Donald J. Dudley, M.D., Catherine Y. Spong, M.D., Alan M. Peaceman, M.D., Kenneth J. Leveno, M.D., Fergal Malone, M.D., Steve N. Caritis, M.D., Brian Mercer, M.D., Margaret Harper, M.D., Dwight J. Rouse, M.D., John M. Thorp, M.D., Susan Ramin, M.D., Marshall W. Carpenter, M.D., and Steven G. Gabbe, M.D., for the National Institute of Child Health and Human Development Maternal–Fetal Medicine Units Network. 
N  Engl J Med. September 20, 2007. 357:1190-8.

Apresentação: Liliana M. Alves; Liana de Madeiros Machado.
Coordenação: Paulo R. Margotto.
Escola Superior de Ciências da Saúde/SES/DF

TERAPIA COM O ÁCIDO URSODEOXICÓLICO (UDCA) EM NEONATOS DE MUITO BAIXO PESO AO NASCER COM COLESTASE ASSOCIADA À NUTRIÇÃO PARENTERAL (Ursodeoxycholic acid (UDCA) therapy in very-low-birth-weight infants with parenteral nutrition-associated cholestasis)

TERAPIA COM O ÁCIDO URSODEOXICÓLICO (UDCA) EM NEONATOS DE MUITO BAIXO PESO AO NASCER COM COLESTASE ASSOCIADA À NUTRIÇÃO PARENTERAL (Ursodeoxycholic acid (UDCA) therapy in very-low-birth-weight infants with parenteral nutrition-associated cholestasis)

Chien-Yi Chen, Po-Nien Tsao, Huey-Ling Chen, Hung-Chieh Chou, Wu-Shiun Hsieh, Mei-Hwei Chang.
J Pediatr 2004; 145: 76-83. 
Department of Pediatrics; National Taiwan University and National Taiwan University College of Medicine, Taipei, Taiwan.

Supervisão: Dr. Paulo R. Margotto (Intensivista Neonatal  do HRAS –SES-DF / Professor do Curso de Medicina da Escola Superior de Ciências da Saúde /SES/DF)

 Resumido   por: Dr. Alexandre L. Miralha e Dra. Sílvia Neila Hermes 

Uso do sildenafil na hipertensão pulmonar persistente do recém-nascido The use of sildenafil in the persistent pulmonary hypertension of the newborn infants Resumo

Uso do sildenafil na hipertensão pulmonar persistente do recém-nascido The use of sildenafil in the persistent pulmonary hypertension of the newborn infants Resumo

Paulo Roberto Margotto1. 
1 Escola Superior de Ciências da Saúde, Fundação de Ensino e
Pesquisa em Ciências da Saúde, Brasília, Brasil.

Insuficiência renal aguda em paciente pediátrico imunocompetente em tratamento para tuberculose abdominal-relato de caso – Hospital Regional da Asa Sul –DF

Insuficiência renal aguda em paciente pediátrico imunocompetente em tratamento para tuberculose abdominal-relato de caso – Hospital Regional da Asa Sul –DF

Geisa Cozac Bomfim. 

Monografia apresentada ao Supervisor do Programa de Residência Médica da Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal, como requisito parcial para obtenção do título de especialista em Pediatria sob orientação dos preceptores Dr. Bruno Vaz da Costa e Dra Thereza Christina C. Ribeiro. 
Hospital Regional da Asa Sul (HRAS)