Categoria: Nutrição do Recém-nascido

Influência do leite da própria mãe e diferentes proporções de fórmula sobre a microbiota intestinal em recém-nascidos muito prematuros

Influência do leite da própria mãe e diferentes proporções de fórmula sobre a microbiota intestinal em recém-nascidos muito prematuros

Influence of own mother’s milk and different proportions of formula on intestinal microbiota of very preterm newborns.Zanella A, Silveira RC, Roesch LFW, Corso AL, Dobbler PT, Mai V, Procianoy RS.PLoS One. 2019 May 20;14(5):e0217296. doi: 10.1371/journal.pone.0217296. eCollection 2019.PMID: 31107919. Free Article.Similar articles. Artigo Livre!

 

Apresentação:Maria Eduarda Canellas de Castro R4 Neonatologia HMIB.

Coordenação: Carlos A. Zaconeta

  • Muitos estudos têm focado na questão da amamentação, particularmente em relação à microbiota dos recém-nascidos, para identificar seus benefícios para o desenvolvimento e a prevenção de doenças ao longo da vida.
  • Considerando a importância do tema, este estudo teve como objetivo descrever a microbiota intestinal de recém-nascidos pré-termo de acordo com seus hábitos nutricionais estabelecendo modificações da microbiota intestinal de acordo com o tipo de dieta enteral administrada.
  • Com base nestes dados, percebe-se que as diferenças globais da comunidade microbiana são encontradas entre os tipos de dietas administradas a prematuros, mostrando que a maior riqueza microbiana foi encontrada naqueles que receberam leite materno exclusivo em comparação àqueles que receberam diferentes proporção de fórmula.
Exposição precoce ao leite materno modifica a conectividade cerebral em bebês prematuros

Exposição precoce ao leite materno modifica a conectividade cerebral em bebês prematuros

Early breast milk exposure modifies brain connectivity in preterm infants.Blesa M, Sullivan G, Anblagan D, Telford EJ, Quigley AJ, Sparrow SA, Serag A, Semple SI, Bastin ME, Boardman JP.Neuroimage. 2019 Jan 1;184:431-439. doi: 10.1016/j.neuroimage.2018.09.045. Epub 2018 Sep 18.PMID:30240903.  Free Article.Similar articles. Artigo Livre!

Realizado por Paulo R. Margotto

Em 47 prematuros<33 semanas submetidos s ressonância magnética cerebral  complexa na idade equivalente a termo, foi demonstrado, em 46 bebês,  que as propriedades microestruturais dos tratos da substância branca e da conectividade estrutural cerebral são melhoradas em associação com a maior exposição ao leite materno. No Pediatric Academic Societies (PAS) Meeting 2019 (Apr 24 – May 01, 2019, Baltimore, Maryland, US, estudo mostrou que a   alimentação do prematuro com  leite materno durante o primeiro mês de vida parece estimular o crescimento cerebral mais robusto, com melhor resultado neurológico (≤ 32 semanas/ peso ao nascer < 1550g). Mães de prematuros devem receber apoio para fornecer leite materno enquanto seus bebês estiverem em cuidados neonatais porque isso pode dar a seus filhos a melhor chance de desenvolvimento cerebral saudável, segundo James Boardamn, Diretor do Laboratório de Pesquisa Jennifer Brown da Universidade de Edimburgo.

Apenas uma pequena percentagem de RN humanos deve correr o risco de ingerir fórmulas artificiais (Cockburn F)

Efeito do Leite Humano no Metabolismo aos 17 Anos

Efeito do Leite Humano no Metabolismo aos 17 Anos

Realizado por Paulo R. Margotto

1-Leite  humano na infância e o Perfil Lipídico na Adolescência.

Breastfeeding in Infancy and Lipid Profile in Adolescence.Hui LL, Kwok MK, Nelson EAS, Lee SL, Leung GM, Schooling CM.Pediatrics. 2019 May;143(5). pii: e20183075. doi: 10.1542/peds.2018-3075. Epub 2019 Apr 9.PMID:30967484.Similar articles.

2-Efeito do leite humano no metabolismo biológico nas crianças

 Effect of human breast milk on biologial metabolism in infants. Shoji H, Shimizu T.Pediatr Int. 2019 Jan;61(1):6-15. doi: 10.1111/ped.13693. Epub 2018 Nov 28. Review.PMID: 30194786. Similar articles.

O presente estudo sugere que a amamentação nos primeiros 3 meses de a vida está associada a um perfil lipídico menos aterogênico. Apesar do impacto modesto no LDL-C, a amamentação é potencialmente importante na prevenção de doenças cardiovasculares mudando toda a distribuição do colesterol em direção um nível mais baixo, de acordo com o paradoxo de prevenção de Rose..

Novo método de inativação por calor a curto prazo do citomegalovírus (CMV) no leite materno: impacto na inativação do CMV, anticorpos contra CMV e atividades enzimáticas

Novo método de inativação por calor a curto prazo do citomegalovírus (CMV) no leite materno: impacto na inativação do CMV, anticorpos contra CMV e atividades enzimáticas

New short-term heat inactivation method of cytomegalovirus (CMV) in breast milk: impact on CMV inactivation, CMV antibodies and enzyme activities.Maschmann J, Müller D, Lazar K, Goelz R, Hamprecht K.Arch Dis Child Fetal Neonatal Ed. 2019 Feb 6. pii: fetalneonatal-2018-316117. doi: 10.1136/archdischild-2018-316117. [Epub ahead of print].PMID:30728181.Similar articles. Germany

Realizado por Paulo R. Margotto.

As experiências dos autores  demonstram que o curto prazo tratamento térmico por 5 s a uma temperatura de rampa de 62 ° C pode ser o melhor compromisso entre os objetivos concorrentes de Inativação do CMV de um lado, e preservação da atividade da enzima  e capacidade de ligação e neutralização do anticorpo CMV por outro lado. Para estar do lado muito seguro sobre inativação do CMV, temperaturas de 66 ° C e superiores devem ser usadas, embora os experimentos de tipo selvagem mostrassem Inativação do CMV além de 60 ° C por 5 s. No entanto, este estudo apenas fornece dados in vitro, mas estudos clínicos de inativação do CMV também foi realizada com sucesso a 62 ° C por 5 s, mesmo com quantidades de até 50 mL de leite materno por procedimento de pasteurização.  A máquina usada para nossos experimentos é comercialmente disponível e em uso clínico em vários níveis neonatais alemães de 3 unidades capazes de pasteurizar até 95 mL de leite materno por procedimento. Portanto, podemos apresentar evidências laboratoriais e clínicas para uma inativação de CMV de curto prazo suave e eficiente baseada em filme de leite método. Além disso, demonstramos o melhor do nosso conhecimento pela primeira vez que a pasteurização Holder destrói a atividade da enzima lipase em adição à ligação do CMV e neutralizando completamente o soro do leite, enquanto o procedimento rápido de inativação baseada em filme de leite é capaz de reduzir perda completa de atividades  fosfatase alcalina e lipase no leite materno, contribuindo para uma melhor digestão do leite e prevenção da transmissão do CMV via aleitamento materno.

Portanto

Um mínimo de 5 segundos acima de 60°C foi necessário para a inativação do CMV na m amostra do LM infectada por CMV-AD-169 e infectada do tipo selvagem. A lipase foi muito sensível ao calor (atividades de 54% a 55°C, 5% a 60°C e 2% a 65°C). A fosfatase alcalina apresentou atividades de 77%, 88% e 10%, respectivamente. Os anticorpos IgG CMV-p150 foram preservados a 62°C por 5 segundos.

 Os resultados do presente estudo  mostram que a pasteurização do leite humano  a curto prazo (62°C por 5 segundos) pode ser eficiente para a inativação do CMV e reduz a perda de atividades enzimáticas, assim como a ligação do CMV e anticorpos CMV funcionais.

Monografia-Neonatologia (HMIB-2019) – Apresentação: Perfil calórico do leite humano doado em uma Maternidade de Brasília

Monografia-Neonatologia (HMIB-2019) – Apresentação: Perfil calórico do leite humano doado em uma Maternidade de Brasília

Déborah Carneiro Nunes de Lima.

  • No presente estudo notamos que há uma variabilidade enorme da quantidade de calorias nas amostras de leite pasteurizadas, sendo que 65% de todas amostras analisadas encontram-se dentro da faixa da normalidade esperada (acima de 580 kcal).
  • Também observamos que a maioria das doadoras é oriunda da rede privada, desde durante o pré-natal e um dos objetivos de intervenção seria o de sensibilizar um maior número de usuárias da rede pública, em especial do HMIB e vinculá-las ao nosso Banco de Leite.
  • Uma das propostas do presente trabalho é realizar a busca ativa das mães com amostras hipocalóricas para que haja um estímulo à boa alimentação e para melhor seguimento do crescimento e desenvolvimento dos seus filhos.
  • Este estudo propõe ainda que a avaliação do teor energético do leite humano seja realizada imediatamente antes da administração ao RN, uma vez que os processos de armazenamento e estocagem do leite pasteurizado fazem com que haja perdas calóricas significativas
PROTOCOLO PARA O USO DO LEITE HUMANO (FRESCO) NOS PREMATUROS EXTREMOS (<28 SEMANAS)

PROTOCOLO PARA O USO DO LEITE HUMANO (FRESCO) NOS PREMATUROS EXTREMOS (<28 SEMANAS)

Paulo R. Margotto -Unidade de Neonatologia do HMIB/SES/DF

Marta Rocha Moura -SES/HMIB

Liú Campello Infectologista – SES/ESCS

Felipe T. de M. Freitas – NCIH/HMIB

Carla Pacheco de Brito – Coordenadora de Neonatologia

Miriam Oliveira dos Santos – Coordenadora BLH SES/DF

Eliana Bicudo – Coordenadora de Infectologia SES/DF

André Albernaz Ferreira – GAD/DIASE/CATES/SAIS/SES

GEAI/DIASE/CATES/SAIS/SES

Fernanda Sena – GAD/DIASE

Jorge Antônio Chamon Júnior – GBM/LACEN/SVS/SES

Ana Célia dos Santos Brito – HRS-BLH

A experiência de amamentação em crianças com hérnia diafragmática congênita ou atresia de esôfago

A experiência de amamentação em crianças com hérnia diafragmática congênita ou atresia de esôfago

The experience of breastfeeding infants affected by congenital diaphragmatic hernia or esophageal atresia.Salvatori G, Foligno S, Massoud M, Piersigilli F, Bagolan P, Dotta A.Ital J Pediatr. 2018 Jul 3;44(1):75. doi: 10.1186/s13052-018-0509-6.PMID: 29970173.Free PMC Article.Similar articles. Artigo Livre!

Apresentação: Letícia Rodrigues de Moraes,R4 em Neonatologia do HMIB/SES/DF. Coordenação: Carlos Alberto Zaconeta.

A porcentagem de aleitamento materno exclusivo e complementar para crianças operadas para  atresia de esôfago (EA) e  hérnia diafragmática congênita (CDH) é baixa tanto durante a internação quanto após a alta hospitalar.  Estas taxas permanecem baixas após três meses de vida. Crianças com EA são amamentadas em menor frequência em comparação com aqueles com CDH.As principais barreiras à amamentação provavelmente estão relacionadas à cirurgia e ao curso perioperatório. Esse estudo mostra que é necessário melhorar as taxas de amamentação em recém-nascidos submetidos a cirurgia para CDH e EA já durante a hospitalização.

  • Um benefício adicional poderia ser alcançado, acompanhando também a expansão da “iniciativa hospital amigo da criança, dez passos” criado pela OMS para as UTINs [11, 12, 21], onde os bebês são hospitalizados após a cirurgia.
  • Aconselhamento pré-natal adequado, uma sala dedicada para ordenha da mama, método canguru, treinamento de enfermeiros e médicos e supervisão de consultores de lactação com certificação internacional  deveriam ser considerados padrões para os hospitais. Os autores também acreditam que seria útil apoiar a amamentação após a alta, seja com visitas clínicas e por meio de chamadas telefônicas.
Nutrição Enteral-2018

Nutrição Enteral-2018

Alessandra de Cássia Gonçalves Moreira, Paulo R. Margotto, Hélida Maia, Miza Vidigal, Erika Ibiapina, Ana Lúcia Moreira,  Emmanuelle S. Coutinho, Patrícia Cristina Monroe, Tayana T. de Almeida.

Capítulo do livro Assistência ao Recém-nascido de Risco, 4a Edição, 2019, em preparação

Tema Livre: (24o Congresso de Perinatologia, 2018): Impacto da oferta nutricional e do crescimento pós-natal sobre a displasia broncopulmonar em recém-nascidos prematuros extremos

Tema Livre: (24o Congresso de Perinatologia, 2018): Impacto da oferta nutricional e do crescimento pós-natal sobre a displasia broncopulmonar em recém-nascidos prematuros extremos

ALESSANDRA DE CÁSSIA GONÇALVES MOREIRA (ESCS);HELENA GEMAYEL MARQUES (ESCS);
REBECCA SANTANA ALONSO (ESCS)

24o Congresso de Perinatologia, Natal (RN), 26 a 29 de setembro de 2018

Os resultados obtidos estão em consonância com a literatura no que concerne a:
Correlação entre o menor aporte calórico e maior incidência do quadro de displasia broncopulmonar (BDP).
Maior aporte hídrico se correlacionou com a maior ocorrência de DBP.
Maior duração da nutrição parenteral teve relação com maior desenvolvimento de DBP.