Categoria: Monografias-2018

Monografia (Infectologia Pediátrica/HMIB):Série de casos de endocardite infecciosa do Hospital Materno Infantil de Brasília: etiologias e complicações (4 foram recém-nascidos)

Monografia (Infectologia Pediátrica/HMIB):Série de casos de endocardite infecciosa do Hospital Materno Infantil de Brasília: etiologias e complicações (4 foram recém-nascidos)

Autora: Beatriz Vasconcellos de Souza

Orientadora: Flávia de Assis Silva

Endocardite infecciosa (EI) é uma doença rara, porém grave, que apesar dos grandes avanços nos procedimentos diagnósticos e terapêuticos, ainda carrega um mau prognóstico e uma alta mortalidade. É uma doença que se apresenta de diferentes formas, variando de acordo com a manifestação clínica inicial, a doença cardíaca subjacente (se houver), do microorganismo envolvido, a presença ou ausência de complicações e as características do paciente. O objetivodeste trabalho foi avaliar os casos de EI internados no Hospital Materno Infantil de Brasília (HMIB) no período de cinco anos, entre janeiro de 2013 e dezembro de 2017. No total foram 10 casos neste período, incluindo 4 recém-nascidos e foram analisados em cada caso, clínica, diagnóstico, tratamento, bem como suas etiologias e complicações. Por ser uma doença grave e potencialmente fatal, necessita de alta suspeição e início do tratamento o mais precocemente possível, para evitar complicações, sequelas e morte.

Monografia-Pediatria-HMIB: Manejo e proposta de protocolo para o atendimento das crises epilépticas em Pediatria atendidas no Serviço de Emergência do Hospital Materno Infantil de Brasília

Monografia-Pediatria-HMIB: Manejo e proposta de protocolo para o atendimento das crises epilépticas em Pediatria atendidas no Serviço de Emergência do Hospital Materno Infantil de Brasília

AUTOR: Matheus Rocha Pereira Klettenberg        

ORIENTADORA:  Ludmila Inácio de Lima Uchôa                  

Monografia-UTI Pediátrica-HMIB/SES/DF:Perfil do manejo de sedoanalgesia contínua em Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica do Distrito Federal

Monografia-UTI Pediátrica-HMIB/SES/DF:Perfil do manejo de sedoanalgesia contínua em Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica do Distrito Federal

Autora: Fernanda Arantes Alves Dornelas

Orientadora: Roberta Calheiros Ramos

 

Objetivo: descrever o perfil de uso de analgésicos e sedativos em infusão contínua utilizados em crianças submetidas à ventilação mecânica, internadas em uma UTI pediátrica, avaliando o tempo de uso dessas drogas, as doses diárias utilizadas, o nível de sedação e a incidência de síndrome de abstinência.

Métodos: estudo de coorte prospectivo realizado de janeiro a agosto de 2017, envolvendo crianças em ventilação mecânica (via tubo traqueal) por um período superior a 48 horas, com idade entre 29 dias e 14 anos. Realizada coleta diária da dose dos sedativos e analgésicos e aplicação da escala Confort-Behavior para avaliação do nível de sedação. O diagnóstico de síndrome de abstinência foi definido através da aplicação da escala WAT-1.

Resultados: foram avaliados 52 pacientes, com idade média de 18 meses, tempo médio de sedação contínua de 5,25 dias. A associação de drogas mais frequentemente utilizada foi de midazolam e fentanil (63,4%). A média de pontuação na escala Confort-Behavior foi 13,91 e 46,1% dos pacientes experimentaram pelo menos 1 avaliação indicativa de supersedação. A incidência de síndrome de abstinência foi 27% e nestes foi evidenciado maior tempo de internação na UTI e doses mais elevadas na velocidade de infusão de fentanil (p 0,0166 e 0,0479, respectivamente).

Conclusões: pode-se constatar que foram utilizadas doses relativamente baixas de sedativos, motivo pelo qual possivelmente houve baixa incidência de síndrome de abstinência. A incidência de supersedação foi maior do que a de sedação subótima. Assim como descrito na literatura, evidenciou-se maior tempo de internação em UTI e doses diárias mais elevadas de fentanil nos pacientes diagnosticados com abstinência.