Autor: Paulo Margotto

Este site tem por objetivo a divulgação do que há mais de novo na Medicina Neonatal através de Artigos (Resumidos, Apresentados, Discutidos e Originais), Monografias das Residências Médicas, principalmente do Hospital Materno Infantil de Brasília (HMIB/SES/DF), Apresentações de Congresso e Simpósios (aulas liberadas para divulgação, aulas reproduzidas). Também estamos disponibilizando dois livros da nossa autoria (Assistência ao Recém-Nascido de Risco, 3a Edição, 2013 e Neurossonografia Neonatal, 2013) em forma de links que podem ser baixados para os diferentes Smartphone de forma inteiramente gratuita. A nossa página está disponível para você também que tenha interesse em compartilhar com todos nós os seus conhecimentos. Basta nos enviar que após análise, disponibilizaremos. O nome NEONATOLOGIA EM AÇÃO nasceu de uma idéia que talvez venha se concretizar num futuro não distante de lançarmos um pequeno livro (ou mesmo um aplicativo chamado Neonatologia em Ação) para rápida consulta à beira do leito. No momento estamos arduamente trabalhando com uma excelente Equipe na elaboração da 4a Edição do livro Assistência ao Recém-Nascido de Risco, que conterá em torno de mais 100 capítulos, abordando diferentes temas do dia a dia da Neonatologia Intensiva, com lançamento a partir do segundo semestre de 2018. O site também contempla fotos dos nossos momentos na Unidade (Staffs, Residentes, Internos). Todo esforço está sendo realizado para que transportemos para esta nova página os 6000 artigos do domínio www.paulomargotto.com.br, aqui publicados ao longo de 13 anos.Todas as publicações da página são na língua portuguesa. Quando completamos 30 anos do nosso Boletim Informativo Pediátrico com Enfoque Perinatal (1981- 2011), o berço do livro Assistência ao Recém-Nascido de Risco, escrevemos e que resumo todo este empenho no engrandecimento da Neonatologia brasileira: nestes 30 anos, com certeza, foram várias as razões que nos impulsionam seguir adiante, na conquista do ideal de ser sempre útil, uma doação constante, na esperança do desabrochar de uma vida sadia, que começa em nossas mãos. Este mágico momento não pode admitir erro, sob o risco de uma cicatriz perene. É certamente emocionante fazer parte desta peça há tantos anos! "Não importa o quanto fazemos, mas quanto amor colocamos naquilo que fazemos"
Taxas de Hiperbilirrubinemia Neonatal Extrema e Kernicterus em Crianças e Aderência às Diretrizes Nacionais para Triagem, Diagnóstico e Tratamento na Suécia

Taxas de Hiperbilirrubinemia Neonatal Extrema e Kernicterus em Crianças e Aderência às Diretrizes Nacionais para Triagem, Diagnóstico e Tratamento na Suécia

J, Håkansson S, Ekéus C, Gustafson P, Norman M.JAMA Netw Open. 2019 Mar 1;2(3):e190858. doi: 10.1001/jamanetworkopen.2019.0858.PMID: 30901042.Similar articles. ARTIGO LIVRE!!!

Apresentação: R3 Neonatologia Tatiane Martins Barcelos. Coordenação: Dra Miza Vidigal

Os autores relataram maiores taxas  1,3/100.000 em relação a outros países Canadá de 0,5 a 1 e Noruega <0,5/100.000  e todos com bilirrubina sérica total entre 30-45mg%; 85% dos casos potencialmente evitáveis,  devido a não aderência às Diretrizes de cuidados pré-estabelecidos, incluindo a não aceitação das recomendações e resistência em realizar exsanguineotransfusões!

Um eEstudo de coorte de fentanil intranasal para tratamento da dor nos neonatos

Um eEstudo de coorte de fentanil intranasal para tratamento da dor nos neonatos

A cohort study of intranasal fentanyl for procedural pain management in neonates.McNair C, Graydon B, Taddio A.Paediatr Child Health. 2018 Dec;23(8):e170-e175. doi: 10.1093/pch/pxy060. Epub 2018 May 24.PMID: 30842699.Similar articles.

Apresentação: JOÃO PAULO S. CEZAR; Coordenação: DR. DIOGO PEDROSO

Esse pequeno estudo provê alguma evidência preliminar dos benefícios e riscos do fentanil intranasal na população estudada-32 semanas-1800g, na dose média de 1,3mcg/kg/dose, constituindo boa opção para analgesia quando a via EV está indisponível para procedimentos dolorosos de moderada a severa intensidade; nos links trouxe o estudo de Ku LC et al que tanto o midazolam (0,1 a 0,2 mg/kg/dose) quanto ao   fentanil (1-2mcg/kg/dose) foram em tolerados nessa coorte de prematuros e a termo necessitando de cuidados intensivos; no entanto são necessários estudos maiores.

Neurossonografia Neonatal-Compartilhando Imagens: 4 casos de Malformação Aneurismática da Veia de Galeno

Neurossonografia Neonatal-Compartilhando Imagens: 4 casos de Malformação Aneurismática da Veia de Galeno

Paulo R. Margotto

Apresentamos 4 casos de Malformação Aneurismática da Veia de Galeno, a propósito de um caso em curso agora em maio de 2019 e que se prepara para a cirurgia. O DESFECHO DESSE CASO SERÁ DISPONIBILIZADO AQUI NA NOSSA PÁGINA E SUBMETIDO À PUBLICAÇÃO

Eventos adversos após exsanguineotransfusão para hiperbilirrubinemia neonatal: Um estudo prospectivo

Eventos adversos após exsanguineotransfusão para hiperbilirrubinemia neonatal: Um estudo prospectivo

Chacham S, Kumar J, Dutta S, Kumar P. Adverse events following blood exchange transfusion for neonatal hyperbilirubinemia: A prospective study. J Clin Neonatol [serial online] 2019 [cited 2019 May 20];8:79-84. Available from: http://www.jcnonweb.com/text.asp?2019/8/2/79/257144

Apresentação: R3 Neonatologia Tatiane Martins Barcelos.Coordenação: Dra Miza Vidigal

Segundo os autores, o  estudo é capaz de fornecer taxas de eventos adversos para vários grupos de neonatos submetidos à exsanguineotransfrusão  (ET) sob a a indicação primária de hiperbilirrubinemia. Tais índices podem ser usados para melhoria da qualidade, bem como comparação com qualquer outra opção de tratamento para hiperbilirrubinemia crítica. Concluindo,  embora a exsanguineotransfusão seja um procedimento comum no manejo da hiperbilirrubinemia, é alta a frequência de eventos adversos associados a ela. Tais ocorrem mais em prematuros de baixo peso e previamente doentes.´Um protocolo claro de monitorização desses eventos permitiria detecção e tratamento mais  precoce dessas complicações.

Um novo Icterômetro para Triagem de hiperbilirrubinemia em Cenários de baixo recurso

Um novo Icterômetro para Triagem de hiperbilirrubinemia em Cenários de baixo recurso

A Novel Icterometer for Hyperbilirubinemia Screening in Low-Resource Settings.Lee AC, Folger LV, Rahman M, Ahmed S, Bably NN, Schaeffer L, Whelan R, Panchal P, Rahman S, Roy AD, Baqui AH.Pediatrics. 2019 May;143(5). pii: e20182039. doi: 10.1542/peds.2018-2039. Epub 2019 Apr 5.PMID:30952779.Similar article.

Realizado por Paulo R. Margotto.

Os autores frisam que nas  áreas com poucos recursos, a disponibilidade e custo da medição da bilirrubina sérica são obstáculos importantes para identificar recém-nascidos que necessitam encaminhamento e / ou fototerapia para o manejo da icterícia neonatal. A Bili-régua aborda várias limitações do icterômetro original de Gosset e tem excelente validade para identificar os diferentes limiares de hiperbilirrubinemia. A Bili-régua pode capacitar trabalhadores de saúde para mais rapidamente e com precisão identificar os bebês com hiperbilirubinemia e fornecer-lhes encaminhamento antecipado e / ou oportuno tratamento com fototerapia. Isto é o primeiro passo necessário para ajudar a reduzir mortalidade e morbidade relacionada hiperbilirrubinemia nas comunidades mais carentes.

 

Revisão Sistemática e Metanálise da Orientação da Procalcitonina versus os Cuidados Usuais para o Tratamento Antimicrobiano em Pacientes Críticos: Foco em Subgrupos Baseados na Iniciação Antibiótica, Cessação ou Estratégias

Revisão Sistemática e Metanálise da Orientação da Procalcitonina versus os Cuidados Usuais para o Tratamento Antimicrobiano em Pacientes Críticos: Foco em Subgrupos Baseados na Iniciação Antibiótica, Cessação ou Estratégias

Systematic Review and Meta-Analysis of Procalcitonin-Guidance Versus Usual Care for Antimicrobial Management in Critically Ill Patients: Focus on Subgroups Based on Antibiotic Initiation, Cessation, or Mixed Strategies.Lam SW, Bauer SR, Fowler R, Duggal A.Crit Care Med. 2018 May;46(5):684-690. doi: 10.1097/CCM.0000000000002953.PMID: 29293146.Similar articles.

Apresentação:Tatiana Santos Rodrigues-MR Medicina Intensiva Pediátrica. Coordenação: Alexandre P. Serafim.

  • Nos grupos que utilizaram este guia para interrupção de antimicrobianos, a mortalidade foi menor quando a terapia foi guiada por procalcitonina.
Discussão Clínica: Convulsões na infância após fototerapia; Deficiência tardia de Vitamina K em menores de 2 anos de idade – renascimento de uma doença evitável; Infusão de norepinefrina melhora a hemodinâmica em prematuro com choque séptico; Canal arterial: tratar ou não tratar

Discussão Clínica: Convulsões na infância após fototerapia; Deficiência tardia de Vitamina K em menores de 2 anos de idade – renascimento de uma doença evitável; Infusão de norepinefrina melhora a hemodinâmica em prematuro com choque séptico; Canal arterial: tratar ou não tratar

Paulo R. Margotto e Equipe Neonatal do HMIB/SES/DF

Hiperbilirrubinemia Neonatal-2019

Hiperbilirrubinemia Neonatal-2019

Paulo R. Margotto.

Capitulo do Livro Assistência ao Recém-Nascido de Risco, 4a Edição, Brasília, 2019, no Prelo.

Icterícia é a coloração amarelada da pele, mucosas e escleróticas devido a uma elevação da concentração de bilirrubinas séricas que surge em decorrência da incapacidade do fígado em conjugar toda bilirrubina produzida.

Apresenta etiologias diversas, sendo a manifestação clínica mais freqüente do período neonatal, e as conseqüências podem ser graves uma vez que pode levar a lesão  do sistema nervoso central (SNC).

A icterícia clínica é altamente prevalente  no período neonatal, afetando até 84% de recém-nascidos saudáveis ≥ 35 semanas de gestação na primeira semana de vida. Anualmente, grave hiperbilirrubinemia, definida como total bilirrubina total sérica > 20 mg/dL, afeta 1,1 milhão de bebês, e hiperbilirrubinemia extrema (bilirrubina total séria >25 mg /dL) afeta 481 000 lactentes. Em países de alta renda, kernicterus foi virtualmente eliminado com maior acesso ao rastreio precoce e tratamento com fototerapia de alta intensidade. No entanto, em baixa países de renda média, acesso a triagem, monitoramento e tratamento de hiperbilirrubinemia é limitado. Nesses cenários, cerca de 6 milhões bebês que precisam de fototerapia não o fazem. Aproximadamente um terço de bebês com extrema hiperbilirrubinemia morrem e 44% desenvolvem encefalopatia grave.

“O kernicterus é somente prevenível, mas a  severa hiperbilirrubinemia é prevenível e tratável.”