Categoria: Neurossonografia Neonatal

Neurossonografia Neonatal-Compartilhando Imagens:Sonografia da Fontanela posterior- uma janela acústica para o cérebro neonatal

Neurossonografia Neonatal-Compartilhando Imagens:Sonografia da Fontanela posterior- uma janela acústica para o cérebro neonatal

Posterior fontanelle sonography: an acoustic window into the neonatal brain.Correa F, Enríquez G, Rosselló J, Lucaya J, Piqueras J, Aso C, Vázquez E, Ortega A, Gallart A.AJNR Am J Neuroradiol. 2004 Aug;25(7):1274-82.PMID: 15313724. Free Article.Similar articles.ARTIGO LIVRE!

Realizado por Paulo R. Margotto.

A ultrassonografia é a técnica mais utilizada para imagens do cérebro neonatal devido ao seu baixo custo, acessibilidade e segurança. Tem valor diagnóstico comprovado na detecção das lesões cerebrais mais comuns em recém-nascidos prematuros; tais lesões incluem aquelas devidas à hemorragia intraventricular e doença da substância branca.

Os estudos ultrassonográficos do cérebro são classicamente realizados através da fontanela anterior (FA), mas a visualização das estruturas supratentorial e infratentorial posterior é pobre com essa abordagem. A fontanela da mastóide (FM), também conhecida como fontanela póstero-lateral, está localizada na junção dos ossos temporal, parietal e occipital. A fontanela posterior (PF) situada na junção das suturas lambdoide e sagital também deve ser usada para um estudo mais completo do cérebro. Este trabalho enfocou a ultrassonografia via FP, que fornece excelente visualização de lobos occipitais, cornos occipitais e plexos coróides. Alguns sugeriram que o uso dessa fontanela melhora a acurácia da ultrassonografia na detecção de hemorragia nessas regiões. A avaliação das malformações congênitas do compartimento infratentorial e das lesões hipóxico-isquêmicas acometendo as regiões mais parieto-occipitais posteriores também tem sido considerada uma indicação para a abordagem de FP.

Asim, a abordagem da FP desempenhou um papel importante no diagnóstico da hemorragia intraventricular, tanto pela confirmação como pela exclusão. A ultrassonografia da FP também forneceu informações diagnósticas úteis sobre malformações císticas e infecções na fossa posterior. A adição dessa abordagem à ultrassonografia da fontanela anterior aumenta substancialmente a confiança do examinador no estudo do cérebro neonatal.

 

Neurossonografia Neonatal: Esquisencefalia de lábios fechados

Neurossonografia Neonatal: Esquisencefalia de lábios fechados

Paulo R. Margotto

Chamberlain et al (1990) descreveram características ultrassonográficas nesses pacientes:

(1) Uma linha hiperecóica que se estende da região da fissura sylviana para a porção anterior do ventrículo lateral (melhor imagem no plano coronal), representando o revestimento do córtex da fenda fundida (tipo I);

(2) Uma banda anecóica de largura variável que se estende da superfície cortical ao ventrículo lateral, melhor visualizada nas imagens parassagitais, representando uma fenda aberta (tipo II);

(3) O ápice do divertículo ventricular se projeta em direção à região perisilviana; e,

(4) Diminuição do tamanho das estruturas subcorticais da substância cinzenta, incluindo os núcleos do tálamo, caudado e lenticular.

Neurossonografia Neonatal-Compartilhando Imagens: Áreas de hiperecogenicidades lineares no tálamo e gânglia basal nos recém-nascidos

Neurossonografia Neonatal-Compartilhando Imagens: Áreas de hiperecogenicidades lineares no tálamo e gânglia basal nos recém-nascidos

RN de 27 sem e 2 dias, Bolsa rota no ato, Parto normal, Apgar de  7/9, peso ao nascer de 1040g. Mãe: HIV e Sífilis não reagentes; Toxoplasmose susceptível. Realizado US que mostrou áreas hiperecogênicas lineares no tálamo e gânglia basal, com Doppler mostrando fluxo no interior da ecogenicidade. Pesquisado infecção por citomegalovírus (NÃO REAGENTE).

O que diz literatura quanto às possíveis causas e o que devemos fazer quando encontrarmos esse tipo de imagem?

NEUROSSONOGRAFIA NEONATAL: Imagens do Prematuro

NEUROSSONOGRAFIA NEONATAL: Imagens do Prematuro


Neurosonography
Assessing the Premature Infant
Maller VV, Cohen HL. Pediatr Radiol. 2017 Aug;47(9):1031-1045. doi: 10.1007/s00247-017-3884-z. Epub 2017 Aug 4. Review.PMID: 28779189. Similar articles.

Realizado por Paulo R. Margotto

Esse estudo com excelentes qualidade das imagens, aborda a Anatomia Normal, hemorragia e isquemia do cérebro do prematuro. VALE A PENA CONFERIR, principalmente para os colegas que já fazem ou que pretendam realizar ultrassonografia craniana.

A neurossonografia demonstrou ser útil no diagnóstico do cérebro do prematuro. Bebês prematuros correm grande risco de apresentarem hemorragia intraventricular e leucomalácia periventricular, anormalidades importantes que afetam o resultado do desenvolvimento. Aqui serão apresentadas imagens, iniciando pela Anatomia e Pontos Chave para o diagnóstico dessas importantes anormalidades cerebrais.

Diagnóstico precoce de anormalidades permite esforços clínicos do Neonatologista para minimizar sequelas subsequentes. O acompanhamento ultrassonogragráfico dos achados anormais pode servir como indicador prognóstico para o resultado a longo prazo do neurodesenvolvimento.

As manifestações neurológicas da lesão no cérebro prematuro podem variar de defeitos cognitivos para os principais defeitos motores da paralisia cerebral.

 

Neurossonografia Neonatal-Compartilhando Imagens: 4 casos de Malformação Aneurismática da Veia de Galeno

Neurossonografia Neonatal-Compartilhando Imagens: 4 casos de Malformação Aneurismática da Veia de Galeno

Paulo R. Margotto

Apresentamos 4 casos de Malformação Aneurismática da Veia de Galeno, a propósito de um caso em curso agora em maio de 2019 e que se prepara para a cirurgia. O DESFECHO DESSE CASO SERÁ DISPONIBILIZADO AQUI NA NOSSA PÁGINA E SUBMETIDO À PUBLICAÇÃO