Categoria: Assistência ao Recém-nascido na Sala de Parto

Reanimação Neonatal – 2018

Reanimação Neonatal – 2018

Autores: Virginia Lira da Conceição, Paulo R. Margotto, Jefferson Guimarães Resende

Capítulo do livro Assistência ao Recem-Nascido  de Risco, Hospital de Ensino Materno Infantil de Brasília/SES/DF, 4a Edição, 2018, em preparação

O Brasil é  o 10o pais do mundo em número de nascidos vivos prematuros (menores de 37 semanas) e 16o na mortalidade decorrentes de complicações relacionadas a prematuridade, segundos dados da Organização Mundial de Saúde. A maioria desses bebes prematuros necessita de auxilio durante a transição e adaptação a vida extra-uterina. Dos bebes nascidos entre 23 a 34 semanas, 62 % receberam ventilação com máscara logo ao nascer, segundo a Rede Brasileira de Pesquisas Neonatais e no estudo do NICHD (National Reserch Network) para prematuros extremos de 22 a 28 semanas, cerca de 67 % receberam ventilação com ventilação positiva, 8 % massagem cardíaca e 5 % medicações na sala de parto. Este capítulo visa o reconhecimento de situações de asfixia no momento do nascimento e a prática das intervenções necessárias ao pronto atendimento dos recém-nascidos que necessitam de auxilio na transição para a vida extra-uterina , baseadas nas últimas publicações do ILCOR (International Liaison Committee on Resuscitation) e da SBP (Sociedade Brasileira de Pediatria), e assim, assegurar o adequado atendimento e assistência aos recém-nascidos e reduzir a mortalidade neonatal precoce. A Reanimacao Neonatal consiste em práticas de cuidado imediato, devendo ser iniciadas dentro do primeiro minuto de vida (Minuto de Ouro) que tem por objetivo favorecer a transição bem sucedida da vida intrauterina. A cada 10 nascidos vivos, um bebê necessita de auxílio para iniciar respiração espontânea efetiva; um bebê em cada 100 nascidos vivos necessitará de intubação traqueal e um a dois bebês de 1000 nascidos vivos necessitarão de reanimação neonatal avançada, com intubação, massagem cardíaca e medicações.

Aspiração endotraqueal para neonato com líquido amniótico tinto de mecônio Ensaio randomizado e controlado

Aspiração endotraqueal para neonato com líquido amniótico tinto de mecônio Ensaio randomizado e controlado

Chettri S, Adhisivam B, Bhat BV.J Pediatr. 2015 May;166(5):1208-1213.e1. doi: 10.1016/j.jpeds.2014.12.076. Epub 2015 Feb 4.PMID:25661412. 

Apresentação: Sarah Rodrigues Mendes – R2 Pediatria. Coordenação: Paulo R. Margotto. Brasília, 21 de junho de 2015

Ventiladores mecânicos manuais em T na reanimação neonatal: há riscos?

Ventiladores mecânicos manuais em T na reanimação neonatal: há riscos?

Apresentação: Bárbara Lalinka de Bilbao Basilio.

Orientadores: Dra. Marta David Rocha de  Moura, Dr. Jefferson Guimarães Resende.
ARTIGO DE MONOGRAFIA APRESENTADO COMO CONCLUSÃO DA RESIDÊNCIA MÉDICA EM PEDIATRIA DO HOSPITAL REGIONAL DA ASA SUL(HRAS)/HOSPITAL MATERNO INFANTIL DE BRASÍLIA (HMIB)