O impacto do intervalo entre extubação e reintubação na Mortalidade ou Displasia Broncopulmonar em recém-nascidos de extremo baixo peso

O impacto do intervalo entre extubação e reintubação na Mortalidade ou Displasia Broncopulmonar em recém-nascidos de extremo baixo peso

The Impact of Time Interval between Extubation and Reintubation on Death or Bronchopulmonary Dysplasia in Extremely Preterm Infants.Shalish W, Kanbar L, Kovacs L, Chawla S, Keszler M, Rao S, Panaitescu B, Laliberte A, Precup D, Brown K, Kearney Infants.Shalish W RE, Sant’Anna GM.J Pediatr. 2018 Nov 5. pii: S0022-3476(18)31392-1. doi: 10.1016/j.jpeds.2018.09.062. [Epub ahead of print]PMID: 30404739.Similar articles.

Apresentação:Maria Eduarda Canellas de Castro. Coordenação: Carlos Zaconeta.

Os estudos realizados sobre o tema (falha de extubação)  usaram uma janela observacional muito diferente para decidir qual reintubação foi considerada clinicamente relevante. O presente estudo procurou explorar associações entre tempo de reintubação e o desfecho composto de morte ou displasia broncopulmonar (DBP) em uma grande coorte prospectiva entre recém-nascidos de extremo baixo peso (RN-EBP). Esse estudo faz uma análise exporadora  de um estudo  observacional multicêntrico ainda em andamento, que tem por objetivo desenvolver um estudo APEX (Ferramenta Automatizada de Previsão de Prontidão para Extubação em RN Pré-termos Extremos). A seleção ocorre entre setembro de 2013 a junho de 2017 em 5 diferentes UTIs Neonatais (UTIN) no Canadá e nos Estados Unidos. A DBP foi definida como necessidade de qualquer suplementação de oxigênio e/ou qualquer tipo de suporte respiratório invasivo ou não invasivo quando com 36 semanas de idade pós-menstrual. Os ebês que necessitaram de reintubação (em comparação com aqueles nunca reintubados) eram mais imaturos ao nascer, menor peso, recebiam  maior FIO2 e foram expostos a maior tempo de ventilação mecânica (VM). Os que foram reintubados receberam uma mediana de 12 dias adicionais de VM (entre 6-26 dias), fizeram maior uso de esteróides pós-natais, maiores taxas de canal arterial patente, enterocolite necrosante, infecção em relação aos nunca reintubados. A probabilidade cumulativa de desenvolver morte/DBP dentre os bebês reintubados dependeu da janela de observação usada  quanto menor a janela, maior a probabilidade): a probabilidade geral de morte / DBP fosse de 83% para todos os RNs reintubados, foi de 93% ao se limitar a janela de observação para reintubação dentro de 48h após a extubação (a probabilidade de morte/DBP nos bebês NUNCA reintubados foi 38%). Esses resultados fornecem uma nova visão para o importância do tempo ao avaliar as implicações clínicas da reintubações em prematuros extremos. Assim, a reintubação em menos de 48 horas pode simlesmente refletir um marcador adicional (independente) de gravidade da doença!Nos links trouxemos a estratégia do desmame e extubação  da experiência dos Dr. Wung e Guilherme Sant´Anna recentemente em Brasília e evidências da literatura  devendo esses bebês serem extubados para CPAPnasal em selo d´agua à 50%, com maiores pressões (7 a 8-9 cm H2O) e se falhar, NIPPV (conhecida entre nós como VNI)  e se falhar, reintubação.